Notícias

Entenda as principais ações previstas na concessão do lote 1 das rodovias do Paraná

Sistema rodoviário foi concedido à iniciativa privada nesta sexta-feira (25). Entre as intervenções, destacam-se 344 quilômetros de duplicação e 210 quilômetros de faixas adicionais

Serviços serão executados ao longo dos 473 quilômetros de pistas concedidas. - Foto: Roberto Dziura Jr/AEN/Governo do Paraná
Serviços serão executados ao longo dos 473 quilômetros de pistas concedidas. – Foto: Roberto Dziura Jr/AEN/Governo do Paraná

O lote 1 do sistema de rodovias integradas do Paraná, concedido nesta sexta-feira (25) pelo Ministério dos Transportes à empresa Infraestrutura Brasil Holding XXI S.A., do Grupo Pátria, passará por uma série de intervenções que melhorarão as condições do tráfego ao longo dos trechos que compõem a primeira concessão de estradas do novo PAC .

A proposta vencedora oferece desconto de pedágio de 18,25%, com uma tarifa de R$ 8,72/100 km. Considerando que a tarifa de leilão já era 30% mais baixa do que o praticado anteriormente, o desconto total atingirá a marca de 50% em termos reais. Com duração de 30 anos, a licitação visa garantir ganhos de segurança, conforto e de tempo nos deslocamentos dos usuários que passam pelo sistema rodoviário formado pelas BRs-277/373/376/476/PR e PRs-418/423/427.

Mais de 70% do total dos 473 quilômetros de rodovias que compõem o lote 1 serão duplicados, o que representa a incorporação de mais 344 quilômetros de pista dupla à malha rodoviária da região metropolitana de Curitiba (PR). Entre as ações em destaque, também constam a implantação de 210 quilômetros de faixas adicionais no conjunto de sete rodovias que compõem o lote 1.

Estão previstas ainda a implantação de novas estruturas – como pontes, trevos e viadutos – e melhorias nos dispositivos que já existem ao longo dos 473 quilômetros de pistas concedidas. Conforme o edital elaborado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), as obras de ampliação de capacidade deverão ser realizadas entre o terceiro e o sétimo anos da concessão.

“Do total de investimentos previstos com a concessão, cerca de R$ 8 bilhões serão para obras, e as cobranças dos pedágios só poderão começar quando as estradas já estiverem em um patamar inicial para cobranças. Serão muitas obras, e esperamos agilizar o máximo possível para que elas iniciem o quanto antes”, reforçou o ministro dos Transportes, Renan Filho.

Desenvolvimento

Os investimentos na revitalização estrutural das pistas, duplicação e ampliação de faixas nas rodovias têm impacto direto no desenvolvimento econômico regional e na segurança dos usuários. Enquanto a separação das pistas garante o devido distanciamento entre os veículos que circulam em sentidos opostos, a inclusão da terceira faixa é outro recurso que amplia a segurança em trechos de visibilidade comprometida e em situações de ultrapassagem ao longo dos trajetos.

Essas interferências contribuem para a redução de congestionamentos e do tempo médio de deslocamento. O impacto econômico vai desde a redução de custos a ganhos de competitividade na logística de transporte de cargas, mas também se traduzirá na geração de empregos e renda nas regiões atendidas pelas rodovias.

Em que trechos serão as obras?

A BR-227/PR terá no total 156 quilômetros de duplicação em oito trechos contíguos entre o Km 147, no Trevo de Balsa Nova, e o Km 303, no Trevo do Relógio, próximo a Prudentópolis. A BR-373/PR será duplicada do Km 183 ao 282, num total de 99 quilômetros. Na BR-476/PR, a duplicação ocorrerá do km 156 ao 197. Duas rodovias estaduais também terão trechos duplicados: a PR-418, do Km 1 ao 21, e a PR-423, entre os Kms 9 e 35.

Os Contornos Norte e Sul de Curitiba figuram entre os trechos que receberão pistas extras. No Contorno Norte, o contrato prevê a duplicação de 20,53 quilômetros desde o entroncamento com a PR-417, no município de Colombo, até a conexão com a pista dupla localizada perto do trevo para Campo Largo. No Contorno Sul, serão implantadas duas faixas extras nos dois sentidos da via. A intervenção fará com que o trecho de 14,6 quilômetros passe a contar com quatro faixas em cada sentido. Já as faixas adicionais estão listadas no projeto para serem construídas em 28 trechos da BR-227/PR: são três segmentos na BR-376/PR; seis da BR-476, dois da PR-418 e em 15 da PR-427.

OUTRAS INTERVENÇÕES

Obras de arte especiais

Um conjunto de 79 novas obras de arte especiais, como pontes, trevos e viadutos, será implantado na malha viária do lote 1. Entre as obras previstas, destacam-se a construção de 27 viadutos do tipo diamante e quatro do tipo trombeta na BR-277/PR. A BR-373/PR receberá duas pontes e cinco viadutos novos. Dez viadutos serão erguidos na BR-476/PR e a PR-418/PR receberá um viaduto e um trevo. O edital prevê ainda duas passagens de nível e três viadutos na PR-423 e um viaduto do tipo diamante na PR-427.

Travessias

A revitalização estrutural das travessias rodoviárias em áreas urbanas é outra ação que consta na frente de ampliação de capacidade, melhorias e manutenção da concessão do lote 1 do Paraná. Duas pontes serão erguidas na BR-373/PR e 30 receberão melhorias na BR-277/PR.

Trechos urbanos da BR-227/PR na capital Curitiba e nos municípios de Campo Largo, Palmeira e Irati são contemplados. Na BR-373, estão previstas melhorias nas travessias de Ponta Grossa, Imbituva, Guamiranga e Prudentópolis. O trecho da BR-376/PR em Curitiba também será revitalizado.

As parcelas urbanas da BR-476/PR nas cidades de Araucária, Contenda e Lapa, além da capital Curitiba, também compõem o escopo das ações de revitalização, assim como os trechos da PR-418 em Almirante Tamandaré e Curitiba. Na PR-423, os trechos das cidades de Araucária e Campo Largo vão receber intervenções. Trechos urbanos da PR-427, em Lapa e Porto Amazonas, serão contemplados com obras de revitalização.

Passagem de fauna

Para facilitar a travessia e evitar o atropelamento de animais silvestres que vivem às margens das estradas próximas a áreas de preservação, serão instaladas 14 passagens de fauna no conjunto viário do lote 1. Serão seis na BR-227/PR, três na BR-373/PR e duas na PR-423. As BR-476/PR e PRs-418 e 427 contarão com uma passagem do tipo cada.

Ponto de parada e descanso

Outra estrutura prevista para o sistema rodoviário é a construção de um ponto de parada e descanso para motoristas profissionais que trafegam na BR-277/PR. A instalação será erguida no Km 188. O prédio de apoio será dotado de vestiários e sanitários e de amplo estacionamento para caminhões e carretas.

Áreas de escape

Os usuários da BR-277/PR contarão com uma área de escape como recurso de frenagem em caso de emergências que envolvam necessidade de redução abrupta da velocidade dos veículos. A área deve ser homologada para operar de modo seguro como espaço de contenção de veículos na velocidade máxima de 110 km/h. O edital prevê um comprimento mínimo de 180 metros, largura mínima de cinco metros e profundidade máxima de um metro para faixa de acesso. Ela deverá ser preenchida com material de comprovada eficácia no tipo de frenagem exigido no local.

Ciclovias

A área urbana de Curitiba contará com 27,4 quilômetros de ciclovias entre o Km 93 e o 107 da BR-277/PR. Serão duas faixas de 13,7 quilômetros de extensão em cada sentido da pista do Contorno Sul da capital paranaense, entre os trevos para Campo Largo e Araucária.

Assessoria Especial de Comunicação
Ministério dos Transportes

Fonte: Governo Brasileiro
Veja a matéria na integra

Você já conhece os benefícios de possuir uma tag (chip eletrônico para pagamento automático)?

Clique aqui e confira!